Curió

Curió

Nome Científico: Oryzoborus angolensis

Significado do Nome: Curió significa na linguagem indígena "Amigo do homem".

Ordem: Passeriformes

Família: Fringílidas

Nome em Inglês: Thick-billed (Lesser) Seed Finch

Nome em Espanhol: Semillero Picogueso

ALimentação no Habitat Natural: Alimenta-se basicamente de alguns insetos, várias sementes com exclusividade na semente do capim navalha.

Cor: marrom quando novo. Depois de completar 420 dias suas penas ficam pretas com apenas uma pequena mancha branca na asa e sua barriga e peito fica na cor vinho, a fêmea é marrom com um tom mais claro no peito mesmo quando adulta.

Localização: Todo o Brasil e alguns lugares da América do Sul. Habita as regiões litorâneas brasileiras e principalmente o litoral paulista.

Tempo de Vida: 30 anos no cativeiro (se bem cuidado) e de 8 a 10 anos na vida selvagem.

Tamanho: 14 cm.

Época de Acasalamento: Ocorre no mês de agosto até o fim de março.

Fêmea - Início do Perído Fértil: 6 meses a 1 ano.

Período de Incubação: 12 dias.

Números de Ovos: De 1 a 3 ovos por ninhada.


O curió é uma ave passeriforme da família Thraupidae.
O curió (Sporophila angolensis) é uma ave passeriforme da família thraupidae. Mede cerca de 14,5 cm, sendo que o macho é preto na parte superior do corpo e castanho-avermelhado na parte inferior, sendo a parte interna das asas na cor branca.
Os seus habitats naturais são: florestas subtropicais ou tropicais úmidas de baixa altitude e florestas secundárias altamente degradadas.

Nome Científico

Seu nome científico significa: do (grego) sporos = semente; e philos = que gosta, amigo; e do (latim) angolensis = referente ao país da Angola na África, angolana, angolano. ? Ave angolana que gosta de sementes. Este nome é resultado de um erro, visto que esta ave é exclusiva da América.

Características

Mede entre 10,6 e 12,4 centímetros de comprimento e pesa entre 11,4 e 14,5 gramas.
O Macho possui cabeça, peito, dorso, asas e cauda negras e região inferior do peito, ventre, crisso e infracaudais de coloração castanha. As asas apresentam um pequeno e característico espéculo branco.
O bico é bastante robusto é utilizado para abrir sementes e apresenta uma mancha acinzentada na base da mandíbula. Tarsos e pés enegrecidos.
A fêmea e os imaturos possuem plumagem toda parda.
O bicudo (Sporophila maximiliani) é um parente muito próximo do curió e também excelente cantor, só que um pouco maior e é todo preto e com a mesma mancha branca na asa.

Atualmente somente duas subespécies reconhecidas

Sporophila angolensis angolensis (Linnaeus, 1766) – Centro, Nordeste, sudeste até o Rio Grande do Sul, indo ao Paraguai, Uruguai e nordeste da Argentina.
Sporophila angolensis torridus (Scopoli, 1769) – Região Amazônica, Colômbia, Venezuela, Trinidad e Tobago, Guianas. Bastante semelhante, mas de menor tamanho que a subespécie nominal.
(Clements checklist, 2014).
Interessante observar que, anteriormente, o denominado curió-do-México (Sporophila (= Oryzoborus) funereus, cujo macho é todo negro, sem a barriga castanha) também era considerado subespécie do angolensis, e agora, é considerada uma espécie plena.

Alimentação

Alimenta-se basicamente de alguns insetos, várias sementes em especial a semente do capim navalha, subindo nos pendões de capim ou catando-as no chão.

Reprodução

Faz um ninho de paredes finas, em formato de xícara. Põe 2 ovos branco-esverdeados com muitas manchas marrons e a eclosão ocorre cerca de 13 dias após a postura. Passados 30 dias do nascimento, os filhotes já estão prontos para sair do ninho. Atingem a maturidade após um ano de idade. O período de acasalamento inicia-se no final do inverno e dura até o término do verão.

Hábitos

Vive solitário ou aos pares, normalmente separado de outras espécies de pássaros, embora às vezes possa misturar-se a bandos de Sporophila e tizius.
É comum em capoeiras arbustivas, clareiras com gramíneas, arbustos nas bordas de florestas altas e pântanos, penetrando também nas florestas.

Distribuição Geográfica


Encontra-se distribuído em quase todo território nacional, da Região Amazônica ao Rio Grande do Sul, passando por estados da região Centro-Oeste. Encontrado também em quase todos os países da América do Sul, com exceção do Chile. Habita as regiões litorâneas brasileiras e principalmente o litoral norte de Pernambuco e especificamente na cidade de Goiana e no litoral paulista em São Paulo.